Não somos mais os mesmos de 2005

Não somos mais os mesmos

No escritório, alguém falou essa frase e acredito que não há quem discorde dela. Quem sabe uma vaga minoria, mas… né! Dez anos se passaram. Mudanças são inevitáveis.  O crescimento e evolução que sentimos internamente a cada experiência que vivemos, caminhos que tomamos, pessoas que deixamos sair e entrar de nosso coração, lugares que conhecemos e batalhas que vencemos, nos fazem ser humanos mais conscientes do que somos e do que queremos ser.

Viver do passado não é algo indicado, mas momentos de nostalgia em que olhamos para trás e avaliamos quem éramos e quem somos agora é um grande passo para o auto-conhecimento e a auto-indulgência. Palavra que por sinal descobri o significado recentemente. Indulgência quer dizer perdão, e às vezes é muito mais fácil perdoarmos alguém do que perdoarmos a nós mesmos. Vivemos com aquela pulguinha atrás da orelha, nos martirizando por deslizes cometidos, pelo destino cruel, por não termos coragem de mudar. Ficamos presos a certas mágoas quando o momento é de espairecer, deixar ir, nos perdoarmos e seguirmos em frente!

O convite saudoso da semana é de olhar para dentro, sorrir para fora e sentir o aconchego da vida, que mesmo com alguns obstáculos é um presente que ganhamos e se renova todos os dias. Agradecer pelas pessoas que conquistamos em nossa jornada e a graça de estarmos de pé, dia após dia. Rindo, sonhando e amando.